Pular para o conteúdo
Voltar

Defensoria Pública de Mato Grosso realizará o primeiro seminário de Inteligência na área do país

As inscrições, exclusivas para membros, servidores da Defensoria e convidados, foram prorrogadas até o dia 19 de julho
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

- Foto por: Bruno Cidade/DPMT
A | A

O seminário “Atividade de Inteligência e a Missão Institucional da Defensoria Pública”, organizado pela Unidade de Inteligência e pela Escola Superior da Defensoria Pública de Mato Grosso, será realizado nos dias 1 e 2 de agosto, das 8h às 18h, exclusivamente para membros, servidores da Defensoria e convidados. As inscrições, que estavam abertas até quarta-feira (10), foram prorrogadas até o dia 19 de julho.

O evento ocorrerá na Escola Superior do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) com o apoio da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Cátedra – Instituto de Desenvolvimento Profissional e Pós-graduação e TCE-MT.

“Este será o primeiro evento de Inteligência da história das Defensorias (estaduais e da União – DPU), com destaque para a qualidade dos participantes e para o certificado de 16 horas emitido pela Escola Superior”, ressaltou Fernando Lopes, coordenador da Unidade de Inteligência da DPMT. Ele pontuou que posteriormente também será publicada uma revista do evento.

Ciclo de Capacitações - O seminário faz parte do 1° Ciclo de Capacitações da Unidade de Inteligência e Segurança Institucional da Defensoria Pública de Mato Grosso, que inclui também um curso básico de inteligência (de 5 a 9 de agosto, na sede da Defensoria) e uma capacitação continuada em segurança orgânica, já realizada em Barra do Garças, Primavera do Leste, Rondonópolis e Juscimeira-Jaciara – e que deve passar pelos principais Núcleos da Defensoria no estado.

“O objetivo é discutir, num ambiente acadêmico, como a Inteligência vai auxiliar a Defensoria Pública de Mato Grosso. Esta inovação permitirá que a Instituição direcione esforços necessários para prevenir e neutralizar adversidades futuras, monitorando de forma mais eficaz riscos e ameaças mapeadas, orientando oportunamente o tomador de decisão”, afirmou Lopes.

Programação - A abertura do evento ocorrerá às 8h30, no dia 1° de agosto, com a presença de Clodoaldo Queiroz, defensor público-geral de Mato Grosso, Márcio Dorilêo, corregedor-geral da Defensoria, Roberto Vaz Curvo, diretor da Escola Superior da Defensoria Pública e Fernando Lopes, coordenador da Unidade de Inteligência da DPMT.

Serão duas palestras por dia – uma por período – com um mediador e dois ou mais debatedores. Pela manhã (9h30), o tópico será: “O desafio do acesso à saúde em Mato Grosso e como a atividade de Inteligência pode contribuir com o tema”, com o defensor público Carlos Brandão. Às 14h30, a coordenadora da Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Mato Grosso, Elizabete Fátima Flores, discorrerá sobre “Os Conflitos Agrários e a Atividade de Inteligência”.

No dia 2, Flávio Augusto de Amorim, diretor de Inteligência Penitenciária do Estado, vai discursar sobre a “Inteligência Penitenciária em Mato Grosso” pela manhã. Às 14h, o secretário-adjunto de Inteligência, Wylton Massao Ohara, encerrá o evento aboradando o “Crime Organizado em Mato Grosso”.

Confira a programação completa do seminário aqui.

Palestrantes - Segundo Amorim, o objetivo de sua apresentação é levar conhecimento de forma simples e eficaz. “Vou apresentar a Diretoria de Inteligência, de modo que os colegas entendam o seu funcionamento, otimizando a oportuna troca de informações”, elucidou.

A expectativa do diretor é encontrar um público motivado e que participe ativamente. “Esse evento é importante para demonstrar a atividade de Inteligência de segurança pública e penitenciária, além de ampliarmos a rede de informações”, afirmou Amorim.

De acordo com o coronel Clarindo Alves de Castro, autor do livro “Inteligência de Segurança Pública: Um Xeque-Mate” (entre outras obras), o evento será uma excelente oportunidade para dialogar sobre a atividade de Inteligência. “O seminário promoverá discussões, esclarecimentos, formulação de problemas e ressignificação de ideias sobre cenários prospectivos, prognósticos e produção de conhecimento”, disse.

Castro, que atuará como debatedor no terceiro tema (Inteligência Penitenciária em Mato Grosso), acredita que a Inteligência é vital para qualquer órgão e que o seminário pode ajudar a criar uma rede de inteligência entre a Defensoria e outras instituições. “Será o primeiro passo para selecionar futuros analistas para trabalharem na Inteligência, além de fomentar uma cultura de segurança orgânica na Defensoria Pública de Mato Grosso”, completou.

Para o especialista em Administração e Inteligência e mestre em Educação (UFMT), a Inteligência deve subsidiar o planejamento estratégico e a elaboração de planos específicos para as diversas áreas de atuação da Defensoria. “Possibilitando a realização de um permanente processamento de dados, visando à produção de conhecimentos relativos à criminalidade e à violência, bem como a necessidade de ampliar, integrar e otimizar a tramitação desses conhecimentos e das ações dos órgãos de Inteligência do Estado de Mato Grosso”, finalizou Castro.