Pular para o conteúdo
Voltar

Defensoria realizou mais de 700 atendimentos no Araguaia Cidadão

A expedição, que começou na terça-feira (13) em Alto Araguaia e percorreu 1.300 km, passando por seis municípios, terminou ontem (21) em Pontal do Araguaia
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

A expedição passou por seis municípios da região do Araguaia, percorrendo 1.300 km e alcançando uma população de cerca de 45 mil habitantes. - Foto por: Arquivo pessoal
A expedição passou por seis municípios da região do Araguaia, percorrendo 1.300 km e alcançando uma população de cerca de 45 mil habitantes.
A | A

Nesta quarta-feira (21), a expedição Araguaia Cidadão, desenvolvida pelo Poder Judiciário, com o apoio da Defensoria Pública de Mato Grosso (DPMT), encerrou a atual edição do evento em Pontal do Araguaia (478 km de Cuiabá). Foram realizados 733 atendimentos pela Defensoria envolvendo assistência jurídica, declaração de hipossuficiência e acordos judiciais.

Segundo o defensor público Joaquim Abinader da Silva, o projeto é fundamental não apenas pelo lado jurídico, mas também para propiciar dignidade aos menos favorecidos. “O objetivo foi proporcionar justiça gratuita e fortalecer o nome da Instituição. Para receber a maioria desses serviços, a população precisa se deslocar a Barra do Garças, por exemplo”, afirmou.

Além de Silva, a equipe da DPMT no Araguaia Cidadão contou com o defensor público Hugo Leonardo Fernandes, os assessores jurídicos Sandro Roberto Serra e Jéssica Bacargi, além do servidor da área de informática Wagner dos Santos.

Dona Estelita - Em Araguainha, a Defensoria atendeu a dona Estelita, uma senhora que tem amputação parcial de um dos membros inferiores e muita dificuldade de locomoção – utiliza um andador.

“Ela está há seis anos na fila de espera por uma prótese. Firmei o compromisso de tentar conseguir essa tão sonhada prótese para ela. Já estou trabalhando nisso”, assegurou o defensor.

Silva explicou que vai requisitar todos os documentos da época em que Estelita fez atendimento no Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (CRIDAC), em Cuiabá. “É uma mulher muito sofrida, pois faz todos os serviços domésticos com o auxílio do andador”, relatou.

Projeto Araguaia Cidadão - A expedição foi criada com o objetivo de levar acesso à justiça, saúde, cidadania e consciência ambiental ao Vale do Rio Araguaia. Segundo o juiz-coordenador da Justiça Comunitária, José Antônio Bezerra Filho, o Judiciário tem um papel primordial na ação e aproximação com a sociedade.

Foram prestados diversos serviços, tais como orientação jurídica e conciliações promovidas pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc), investigação de paternidade, fixação de alimentos, guardas, visitas, casamentos comunitários, divórcios, emissão de documentos (RG, CPF, título de eleitor e biometria), serviços do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), palestra do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), atendimento médico, doação de roupas, livros e calçados, distribuição de mudas etc.

O projeto, que ocorreu de 12 a 21 de agosto, percorreu 1.300 quilômetros, passando por Alto Araguaia, Araguainha, Ponte Branca, Ribeirãozinho, Torixoréu e Pontal do Araguaia, que juntos somam aproximadamente 45 mil habitantes.

* Com informações da Coordenadoria de Comunicação/TJMT