Pular para o conteúdo
Voltar

Defensoria garante prótese a aposentada com perna amputada

Dona Estelita foi atendida em agosto, em Araguainha, durante o projeto Araguaia Cidadão, pelo defensor público Joaquim José Abinader da Silva
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

Dona Estelita esteve em Cuiabá na semana passada para fazer o molde da prótese para a sua perna esquerda, que foi amputada há sete anos em decorrência de uma trombose. - Foto por: Dani Cunha/TJMT
Dona Estelita esteve em Cuiabá na semana passada para fazer o molde da prótese para a sua perna esquerda, que foi amputada há sete anos em decorrência de uma trombose.
A | A

Após ação da Defensoria Pública de Mato Grosso durante o projeto Araguaia Cidadão, em agosto deste ano, a dona de casa e aposentada Estelita Ferreira de Souza, 55 anos, moradora de Araguainha (468 km de Cuiabá) esteve em Cuiabá na terça-feira passada (24) para fazer o molde da prótese para a sua perna esquerda, que foi amputada em decorrência de uma trombose.

“Foram sete anos de espera por este momento. Sinto muita alegria e emoção e não tenho palavras para descrever tanta felicidade. Só tenho a agradecer primeiro a Deus e depois ao Dr. Joaquim e toda a equipe. Fiquei muito feliz! Não esperava que ia sair tão rápido e saiu. Quero agradecer a todos”, afirmou Estelita.

A aposentada foi até o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac) na semana passada para fazer o molde da prótese, que será entregue em menos de dois meses.

Uma prótese do mesmo molde custa mais de R$ 7 mil, um valor que a aposentada diz que seria impossível pagar. Agora, tem a perspectiva de um futuro melhor. “Vai melhorar tudo. Lavo louça, roupa, varro a casa, cozinho para todo mundo. Faço pastel e cremosinho para vender na feira e no festival de praia, e agora vai ser mais fácil para andar. Com esse andador a gente fica muito limitada e depressiva dentro de casa. Daqui para frente é vida nova e, com fé em Deus, logo estarei andando”, disse.

Dona Estelita foi atendida pelo defensor público Joaquim José Abinader Guedes da Silva, em agosto, durante o Araguaia Cidadão. Na época, ele comprometeu-se a fazer de tudo para ajudar a dona de casa. “Firmei o compromisso de tentar conseguir essa tão sonhada prótese para ela. Já estou trabalhando nisso. É uma mulher muito sofrida, pois faz todos os serviços domésticos com o auxílio do andador”, relatou na época.

O defensor acompanhou o caso desde o início. “Conversei com dona Estelita e ela me contou sua rotina, que cuida da casa, do marido, e que há muito tempo esperava por uma prótese. Imagino ela andando daqui uns dois meses e vou ficar mais feliz ainda quando isso se concretizar. Ela é muito guerreira. Já conhecia a região do Araguaia e esse município é desprovido de tudo”, destacou.

Araguainha - É o menor município de Mato Grosso, com 935 habitantes (2019) e o terceiro menor do país, atrás apenas de Serra da Saudade (MG), 781 habitantes, e Borá (SP), 837 habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A cidade nunca havia recebido uma série de atendimentos como a que foi levada por meio do projeto Araguaia Cidadão. A secretária de Assistência Social do município, Maria Rita de Souza, enfatizou a carência das pessoas que lá residem e que precisam de todos os tipos de serviços. “Foi de grande ajuda para nós, principalmente para dona Estelita, que esperava por isso há sete anos. Estamos tendo o respaldo do programa porque o município é muito carente. O sentimento é de gratidão, de satisfação”, ressaltou.

Araguaia Cidadão - A segunda etapa já está formatada e vai ocorrer de 4 a 16 de novembro. Serão percorridos, ao todo, 4.730 km. A primeira cidade a receber os serviços será Santa Terezinha, a 1.430 km de Cuiabá, seguida por Luciara, São Félix do Araguaia, Novo Santo Antônio e Cocalinho.

Clique aqui para saber mais sobre o trabalho da Defensoria na primeira etapa do Araguaia Cidadão.