Pular para o conteúdo
Voltar

Defensoria participa de 1ª Reunião Extraordinária do CNCG no Rio de Janeiro

Márcio Dorilêo, corregedor-geral da DPMT, destacou a união de esforços entre corregedores e ouvidores em prol dos cidadãos atendidos pela Defensoria
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

O encontro extraordinário ocorreu ontem (12), durante o Congresso Nacional dos Defensores Públicos (Conadep), que está sendo realizado de 12 a 15 de novembro, no Rio de Janeiro. - Foto por: Arquivo pessoal
O encontro extraordinário ocorreu ontem (12), durante o Congresso Nacional dos Defensores Públicos (Conadep), que está sendo realizado de 12 a 15 de novembro, no Rio de Janeiro.
A | A

A Corregedoria-Geral da Defensoria Pública de Mato Grosso participou ontem (12) da 1ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional dos Corregedores-Gerais das Defensorias Públicas dos Estados, do Distrito Federal e da União (CNCG), no Rio de Janeiro (RJ).

O encontro extraordinário foi inserido na programação do Congresso Nacional dos Defensores Públicos (Conadep), que está sendo realizado de 12 a 15 de novembro na capital fluminense.

“Foi uma reunião produtiva que discutiu temas relevantes. Um deles foi a possibilidade de aplicação pelas Corregedorias da técnica da justiça restaurativa no controle disciplinar”, afirmou Márcio Dorilêo, corregedor-geral da DPMT e representante da Instituição no evento.

Pauta - Durante a reunião, foram debatidos assuntos importantes, tais como “A Corregedoria do futuro”, “Espaço para o Conselho Nacional dos Ouvidores”, “Apresentação do aplicativo e-defensor” pelo corregedor-geral da Defensoria de Roraima, Natanael de Lima Ferreira, entre outros.

O CNCG também recomendou que as Defensorias que ainda não instituíram a Ouvidoria externa façam isso o mais rápido possível, visto que a experiência tem demonstrado a importância da participação do controle social como instrumento de fortalecimento e legitimação da Defensoria.

“Na oportunidade, expus que a DPMT foi uma das primeiras Defensorias a implantar a Ouvidoria nos moldes legais, o que sem dúvidas tem contribuído para o aprimoramento das atividades institucionais”, destacou Dorilêo.

O corregedor-geral elogiou o projeto e-defensor da Corregedoria-Geral de Roraima. “O aplicativo, criado para facilitar o atendimento ao usuário dos serviços da Defensoria Pública, é uma excelente iniciativa que poderá ser replicada nas demais Defensorias, mesmo porque a inovação tecnológica é o caminho natural”, sustentou.

De acordo com Dorilêo, o grande destaque da reunião foi a união de esforços entre corregedores e ouvidores para a cooperação em ações em prol dos cidadãos atendidos pela Defensoria Pública.