Pular para o conteúdo
Voltar

Escola Superior organiza capacitação em direitos LGBTI para membros e servidores

Reunião ocorrida ontem (15) à tarde, no Núcleo de Segunda Instância Cível, definiu que a capacitação será realizada nos dias 14 e 28 de fevereiro; o objetivo do projeto é orientar os colaboradores da Defensoria sobre como atender o público LGBTI
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

Organizadores do projeto acreditam que a capacitação vai melhorar ainda mais o atendimento realizado pela Defensoria ao público LGBTI. - Foto por: Alexandre Guimarães/DPMT
Organizadores do projeto acreditam que a capacitação vai melhorar ainda mais o atendimento realizado pela Defensoria ao público LGBTI.
A | A

Nesta quarta-feira (15), por volta das 16h, ocorreu uma reunião no Núcleo de Segunda Instância Cível Grosso para definir o cronograma de um projeto de capacitação em direitos LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais) voltado para membros e servidores da Defensoria Pública.

Os organizadores do projeto definiram que a capacitação será realizada nos dias 14 e 28 de fevereiro, na sala do Conselho Superior. Na ocasião, também foi escolhido o nome da ação: “Defensoria Pública: Defendendo a Diversidade Sexual e de Gênero”. Serão duas horas de capacitação em cada dia, no formato “roda de conversa”.

“É uma continuidade na capacitação de nossos membros e servidores. A Defensoria tem que atuar como um órgão de inclusão. Precisamos saber como atender esse grupo muito importante para a sociedade e que muitas vezes é marginalizado e excluído da sociedade”, explicou Roberto Vaz Curvo, diretor da Escola Superior da Defensoria (ESDEP-MT).

Participantes – Além do defensor público, também participaram da reunião Valentim Felix, vice-presidente do coletivo Ótima (Organização de Trans Identidades Masculinas de Mato Grosso), Murilo Beltramin, presidente da ONG Livremente, Marinete da Silva Pinto e Josiane Marconi Oliveira, conhecida como Josi, coordenadora da ONG Mães pela Diversidade.

“A Defensoria mostra às pessoas que o Estado não está fazendo exclusões de nenhuma população. Todo LGBT paga imposto, tem direitos e deve ser incluído e atendido na sua dignidade. A Defensoria faz muito bem o seu papel”, afirmou Josi.

Conteúdo – Segundo os organizadores, o projeto contará com vários tópicos, incluindo testemunhos, as violências contra o público LGBTI no Brasil, os direitos e as conquistas recentes dessa população.

“Com essa capacitação, o objetivo é que os membros e servidores da Defensoria adquiram aprendizado e tenham sensibilidade em relação aos direitos da população LGBT, que devem ser respeitados”, declarou a coordenadora da ONG Mães pela Diversidade.

Ideologia de gênero, tratados internacionais, diretrizes da Organização das Nações Unidas (ONU), histórico da luta LGBTI no Brasil e no mundo, e muitos outros temas serão debatidos na “roda de conversa”. De acordo com Vaz Curvo, posteriormente serão definidos alguns detalhes, tais como forma de inscrição, horário etc.