Pular para o conteúdo
Voltar

Quatro novos defensores públicos de Mato Grosso tomam posse

A posse ocorreu hoje, por volta das 9h30, na sede da Defensoria Pública. Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o evento foi restrito aos novos defensores, Administração Superior e poucos convidados
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

Os quatro novos defensores públicos de Mato Grosso tomaram posse hoje (20), por volta das 9h30, na sede da Defensoria. - Foto por: Bruno Cidade/DPMT
Os quatro novos defensores públicos de Mato Grosso tomaram posse hoje (20), por volta das 9h30, na sede da Defensoria.
A | A

Os quatro novos defensores públicos de Mato Grosso tomaram posse na manhã desta sexta-feira (20), na sede da Defensoria Pública, no Centro Político Administrativo de Cuiabá. Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a cerimônia foi restrita aos novos defensores, membros da Administração Superior e poucos convidados.

“Nomeamos seis novos defensores, quatro estão sendo empossados agora e dois serão empossados posteriormente. Vamos buscar a nomeação de todos os aprovados neste concurso. Restam de 10 a 12 aprovados interessados em assumir as vagas” afirmou Clodoaldo Queiroz, defensor público-geral.

Bruno Cury de Moraes, Marcelo Pompeo Pimenta Negri, Rodrigo dos Anjos Barroso Mattos e Thiago Queiroz de Brito são os quatro novos defensores públicos estaduais. Todos já atuaram na Defensoria em algum momento de suas carreiras e apenas Marcelo e Rodrigo são mato-grossenses, de Cuiabá e Nortelândia, respectivamente. Thiago é natural de Teresina (PI) e Bruno de Juiz de Fora (MG).

“É uma felicidade imensa ingressar nos quadros da Defensoria Pública de Mato Grosso. Uma Instituição forte, com um ambiente de trabalho favorável para o defensor atuar. Só estou triste pelo fato da minha família não ter vindo, por precaução, em razão do coronavírus”, declarou Brito.

Representando os quatro empossados, Mattos fez um discurso emocionado, agradeceu sua família pelo apoio e disse que é um sonho ser defensor público em seu estado natal.

“Estou extremamente feliz. A família fez falta, mas os colegas da Defensoria fizeram com que nos sentíssemos extremamente abraçados, e isso foi confortante. Estou pronto para o começo dessa longa jornada aqui no estado”, disse Moraes.

O juramento do defensor público foi pronunciado por Negri e repetido pelos empossados.

“Temos que deixar um legado. Contem comigo! Parabéns! Torço para que tenhamos novas posses de defensores. Parabéns à Administração Superior por, nesse período tão difícil, dar posse aos novos defensores”, declarou Cristiano Preza, ouvidor-geral da Defensoria, citando a pandemia do novo coronavírus.

Os quatro já trabalharam em outros órgãos públicos, inclusive na Defensoria. Bruno era defensor público no Pará desde 2017, Marcelo atuou como analista jurídico da DPMT em 2016, Rodrigo foi assessor de um defensor em Arenápolis (MT), e Thiago foi estagiário na Defensoria do Piauí.

“É um momento maravilhoso na vida de vossas excelências. Vocês serão pessoas melhores. Fazer cumprir a Constituição é o nosso dever, mas vocês vão perceber que não é tarefa fácil. Devem sempre olhar nos olhos dos assistidos e dizer: ‘Estou aqui, conte comigo’”, aconselhou a defensora Odila de Fátima Santos, vice-presidente da Amdep (Associação dos Defensores Públicos de Mato Grosso).

Os empossados foram selecionados no quinto concurso feito pela Instituição para contratar defensores, homologado em dezembro de 2016 e prorrogado, por mais dois anos, em 2018. As nomeações visam repor a saída de três profissionais e o falecimento da defensora Rejane Masini, em fevereiro de 2020.

“Não importa o momento que a gente adentra. Quando aqui estamos, é para ficar. É um local para os fortes. Aqueles cujas famílias não estão aqui, sintam-se abraçados e integrados à família da Defensoria Pública de Mato Grosso. Deixo aqui a minha fala de amiga, de irmã. Não existe defensor maior ou menor. Somos todos iguais. Todos pelos nossos assistidos”, destacou a defensora Giovanna Santos, representando o Conselho Superior da DPMT.

O último concurso da Defensoria ofereceu 19 vagas para defensor público e classificou 57 candidatos. Desde a homologação, 44 foram nomeados. Com a posse dos quatro novos, atualmente há 192 defensores públicos atuando em Mato Grosso. Ainda faltam 63 profissionais para completar o número de vagas efetivas (255) para todo o estado.

“Os senhores vão assumir posição contramajoritária numa sociedade extremamente dividida e intolerante. É das dificuldades que nós conseguimos evoluir. Assim nos demonstrou a história, seja nas guerras ou nessa pandemia. Nunca se esquecendo da nossa função institucional. Agora é tempo de tornar reais as promessas da democracia. Nós somos os únicos que tratamos com entes reais, o ser humano. Não existe mais nenhuma instituição estatal que faz isso”, declarou Carlos Roika, primeiro subcorregedor-geral.

O defensor público-geral também cumprimentou os novos defensores. “Brevemente, estarei atuando junto com vocês na ponta, na atividade-fim. A nossa missão é apenas atender vocês, dar condições a vocês para que possam trabalhar melhor. Desejo que vocês se realizam profissionalmente, como nós nos realizamos”, concluiu Queiroz.

Novo coronavírus (Covid-19) – Com um número restrito de convidados e com discursos mais curtos, atendendo às recomendações do Ministério da Saúde (MS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia do novo coronavírus não passou despercebida.

“Essa pandemia é especialmente difícil para nós porque nossa Instituição não pode ser a primeira a fechar as portas. Não é justo que o defensor público fique na linha de frente para arriscar nossas vidas e as dos nossos familiares nessa situação. Ao mesmo tempo, não podemos ser os primeiros a fugir dessa batalha. É esse dilema que nós vivemos. Não podemos abandonar as pessoas que dependem somente de nós. Nós somos a última porta para os necessitados. É um momento de prova”, disse Queiroz, em tom de desabafo.

O defensor público-geral lembrou que os atendimentos presenciais foram suspensos por 15 dias, exceto nos casos urgentes, com risco de perecimento de direitos. “Hoje, nós restringimos o atendimento ordinário. Mas estamos garantindo os casos urgentes, de saúde, todas as situações que não podem esperar. Estamos trabalhando para propiciar toda a condição de segurança aos nossos defensores, servidores e estagiários”, declarou.

 

Clique aqui para ler a matéria completa com o perfil dos quatro novos defensores públicos de Mato Grosso.