Pular para o conteúdo
Voltar

Intubada em UPA com Covid, cozinheira de 46 anos de Primavera do Leste é transferida para UTI após ação da Defensoria Pública

Edite Cardoso Almeida, 46 anos, cozinheira, mãe de quatro filhos, foi diagnosticada com Covid e estava intubada em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA); família procurou a Defensoria Pública na última segunda-feira (15) e, na quarta-feira (17), a Justiça deferiu o pedido e Edite foi transferida para uma UTI no Hospital São Lucas, também em Primavera do Leste
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

- Foto por: Divulgação
A | A

Após ação da Defensoria Pública de Mato Grosso, Edite Cardoso Almeida, 46 anos, cozinheira, mãe de quatro filhos, diagnosticada com Covid-19, foi transferida de uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Primavera do Leste (237 km de Cuiabá) para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital São Lucas, na última quarta-feira (17 de março).

A família procurou o Núcleo de Primavera do Leste da Defensoria Pública na segunda-feira passada (15), que ingressou com um pedido de obrigação de fazer com pedido de tutela de urgência antecipada na terça-feira (16). No dia seguinte (17), o Juízo da 1ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Várzea Grande deferiu o pedido e Edite foi imediatamente transferida para uma UTI.

De acordo com o laudo médico, o quadro de saúde de Edite é gravíssimo, com risco iminente de morte. Ela foi intubada quando ainda estava na UPA e segue inconsciente na UTI. A filha de Edite, Jessica Almeida dos Santos, e a nora dela, Patrícia Batista da Rocha, procuraram a 6ª Defensoria de Primavera do Leste no plantão, diante da falta de perspectiva da transferência dela para uma UTI.

“Ela não tem nenhuma comorbidade. Não fuma, não bebe. Estava se cuidando. Tudo aconteceu de repente. Já teve comprometimento dos pulmões. Ontem à tarde (21) ela deu uma melhorada. Hoje eles não conseguiriam controlar a pressão dela”, relatou Patrícia, que está grávida de 7 meses.

O defensor público Nelson Gonçalves de Souza Júnior, autor da ação, celebrou a garantia do tratamento por meio da disponibilização da UTI Covid adulto. “Que venha a trazer uma satisfação especial, tendo em vista o colapso de natureza catastrófica que estamos vivenciando em razão dos altos índices de contaminação e necessidade do acesso à rede pública de saúde, pois sabemos que, infelizmente, há um ambiente de escolhas trágicas e, não obstante esse ambiente, temos a celebração da disponibilidade do tratamento”, declarou.

Segundo a família, apesar de ainda estar entubada e inconsciente, a equipe médica comunicou que o quadro de Edite é estável. “O médico disse que amanhã vão tentar diminuir o sedativo dela e o oxigênio para ver como ela reage”, informou a nora, que elogiou o atendimento da Defensoria Pública. “Foi tudo muito rápido! Todo o atendimento foi feito via WhatsApp. Somos muito gratas”, declarou.