Pular para o conteúdo
Voltar

Defensoria Pública solicita que Prefeitura de Juína divulgue dados da vacinação contra Covid no município de forma mais clara e atualizada

Segundo o defensor público Thiago Queiroz de Brito, autor da recomendação, a Prefeitura já informou que vai acatar o pedido e atualizar as informações sobre as doses da vacina contra a Covid-19 recebidas e aplicadas, inclusive por grupos prioritários, além do cronograma de vacinação
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

- Foto por: Divulgação
A | A

Nesta quarta-feira (24), a Defensoria Pública de Mato Grosso enviou um ofício recomendatório ao prefeito de Juína (742 km de Cuiabá), Paulo Augusto Veronese (Podemos), solicitando que o Município disponibilize o “vacinômetro” no site da Prefeitura ou que sejam disponibilizadas as informações atualizadas quanto ao número de vacinas contra a Covid-19 recebidas e aplicadas, assim como quais grupos já foram vacinados, além do cronograma de vacinação.

“Fiz essa recomendação, pois notei dificuldade em encontrar informações quanto ao número de vacinas que o município recebeu e que já foram aplicadas no site da Prefeitura. A partir dessa busca, pela dificuldade que encontrei de acesso à informação, confeccionei a recomendação e enviei à Prefeitura”, relatou o defensor público Thiago Queiroz de Brito, lotado na comarca de Juína.

O defensor afirma que já havia feito a solicitação anteriormente e recebido os dados da Prefeitura, mas observou que as informações não estavam disponíveis para o público em geral, o que fere o princípio da publicidade na administração pública.

“A Prefeitura já entrou em contato comigo e disse que vai acatar a recomendação, inclusive já estão atualizando a página do site para que possam disponibilizar essas informações”, informou Brito.

No documento, o defensor público requisitou que a divulgação dos dados seja baseada nos parâmetros do Painel Vacinação Covid-19.

“A atuação da Defensoria Pública prima pela tutela das pessoas idosas e com deficiência, que estão no grupo prioritário, e anseiam o quanto antes serem vacinados”, destacou.